Um novo caminho, não tão esperado assim.

A ideia não terminou e não há como ter fim.
Ainda desejo a torta no forno.
Só não sei quando poderei chegar, há muito que se fazer no caminho, outros trilhos foram escolhidos e esses eu não conheço, não foram planejados.
O cobrador garante-me que chegarei a meu destino, mas não entendo a mudança de planos, ele insiste ser necessário, insiste que será melhor.
Pergunto pelos outros passageiros, alguns desceram desde minha chegada ao trem. Pergunto o porquê do caminho deles não ter sido alterado, o cobrador apenas responde:
- Não atrele seu destino ao dos outros, você não sabe quando eles entraram no trem. Estou aqui a tempo suficiente para garantir que não há porque tantos temores. Os caminhos nunca são tortos, os túneis sempre tem fim... Teu imóvel estará lá.
Minha cabeça pesa com seu discurso, penso como ele sabe do imóvel.
Conforto-me com o aroma das rosas na janela.
Não sei quanto tempo ainda levará a viagem, talvez não deva olhar tanto para o relógio.
Continuo a ter pressa, contudo.
Adormeço.
                                                                                                                     14/10/11

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sobre ser o teu amanhã perfeito, hoje.

Sobre resgate

E ai, qual vai ser?