Danousse

Borboletas no estômago e peixeira na mão
Maria bonita amava Lampião e nunca deixou de ser mulher arretada
Porque amor não te torna boba
Muito menos avoada
Quem inventa tais asneiras
É caba sem vergonha que quer deixar mulher apaixonada cega por ele
Mas há tempos que mulher manda na vida
E se apaixonada ai que mais forte fica
Vira Lisbela
Vira Tieta
Gabriela
Rosinha
Mulher pode ser mãe, pode ser pai, cangaceira, engenheira, fotógrafa, astronauta...
Pode ser o que ela quiser
E ai se for mulher nordestina é que lascou-se
Tanto forró
Tanto cuscuz
Tanto borogodó
Faz qualquer desejoso por mulher
Se perder em seus olhos, suas curvas, perder seu chão
Quando descendente de mulher casada com Lampião
Aparece em tua frente
Passa do teu lado
Deixa seu perfume
Te olha dissimulada
Te faz perder a pose
Lembrar da sapatilha
Compor um blues
E até francês falar
É pai... cuidado
Tem jeito não
E se ainda for Baiana
Danousse
Ela já levou teu coração
E tu tá ai lendo essa poesia
Morrendo de amores
Se perg…

Jamais uma fita cassete



Incrível é quando você tem a certeza e continua com a dúvida. Quando o passado bate a tua porta, ou à porta de conhecidos teus e pessoas ainda aparecem pra dizer que tu deverias pensar da mesma forma que antes e esse passado é apenas usado para isso.
Usado, sim. Ele está lá e compete a ti olhá-lo da forma que mais te convier, o certo seria: Da melhor forma pra tua vida, mas nem sempre é o que acontece.
“Se fosse para isso acontecer, teria sido assim há um ano, ou dois, talvez.”
Mas as pessoas se esquecem de um fator determinante para o espaço-tempo: As verdades mudam. As prioridades mudam. A realidade muda. Se em teu ano acontecesse os mesmos eventos que aconteceram no que passou, tuas reações seriam diferentes e isso não faria de tu menos sincero (a) e sabes por quê? Porque tu não és o mesmo e como duas pessoas diferentes, as reações não podem ser as mesmas.
Prioridades: Tua mente gira ao entorno delas: Se queres, derramará de lágrimas tuas à de outros; se não queres, permaneceras calado, dormindo, quem sabe, não moverás uma agulha por isso. E a magia do tempo reside justamente ai: Se tu não levantarias da cama por algo (alguém), talvez ano que vem ou mesmo amanhã, limpe os trilhos do metrô ou numa linguagem mais real, viagem por horas por tua nova prioridade.
As pessoas tendem a se arrepender, ou achar que estão arrependidas, por algo que não fizeram ou não gostariam de ter feito, mas talvez, elas não saibam que não pensariam assim caso sua decisão tivesse sido diferente. Decisões diferentes levam a conclusões diferentes: Não seria tão mágico, caso tivesse acontecido; não seria tão ruim se tu não tivesses vivido. Mas, tu nunca saberás e não deveste te consumir pensando. Pensamentos levam a atitudes futuras, mas não mudarão teu passado.
Aconteceu e tu jamais saberás como seria se não tivesse sido.
Não foi: Parece que seria mágico, portanto (creia, teria menos brilho do que tu procuras acreditar).
A vida não se faz como uma fita que tu possas voltar depois de ter visto uma cena futura. Não podes rebobinar, não podes, ao menos, apaga-la e tentar novas gravações por cima. Não te culpes por isso e caso alguém te faça sentir culpado por algo que tu fez ou não, diga-o: Tu também não podes.
Não é errado fazer hoje algo que tu julgas que poderia ter feito antes, mas não fez. Hoje, os motivos que tu já tiveste não te convencem mais, mas com certeza, foram suficientes no tempo que passou. Tu jamais poderás fazer quem tu eras pensar de forma diferente, seja por não poder voltar ao passado e tentar um confronto frente-a-frente; seja por que não se convence alguém numa realidade com fatos de outra desconhecida pela primeira.

Não é possível ler a sorte antes de quebrar o biscoito. Não é possível se arrepender do que leu antes de quebrar o biscoito.

                                                                                                                        21/01/2012

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sobre resgate

Sobre ser o teu amanhã perfeito, hoje.

E ai, qual vai ser?