Adrenalinamente

A curva do teu sorriso, feito montanha russa, por hora me faz perder a fala, por hora, encontrá-la em estado desumano, desesperadamente tentando gritar o que ninguém entende.Eu não entendo.Explica-me?

Sem ruídos, sem roídos.


Não mais ouço o estalar dos dentes esfomeados a dilacerarem as unhas por fazer;
não vejo mais unhas por fazer.
Por oras escuras, às vezes claras (quase nunca claras).
Os escuros deixam resquícios por trás delas e o claro não fica de fato claro, permanecem, portanto, escuras.
Roxas, vermelhas, pretas-azuladas.
Miragem, Gabriela, hip hop.
Humor ou quem sabe tempo.
Passa-tempo sem tempo pra perder.
Tempo que falta pra pintar telas, pra escrever cores.
Nunca perfeitas. De tempos pra cá, sempre feitas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Danousse

Já não era sem tempo!

Aannnh