Tu

Quem és tu quer lê esse texto agora?
Estás certo que não poderias ser outro caso a teu lado outro ser se portasse?
Tu és personagem de teu convívio e se outros formassem tua família, outros gostos seriam experimentados e tua percepção sobre a vida mudaria o foco.
Quem és tu que dança ao vento e se distrai com uma tulipa que desabrocha? Sabes que poderia nem conhecê-la caso houvesse nascido em outro país? Em potencial tu gostarias de tulipas mas jamais saberias da admiração que hoje tens.
Conhece-te pelos que te cercam, e se outros fossem... ah jamais poderás responder, afinal não trocaria-os por um reino, não trocaria por ouro aqueles que te fazem gostar de tulipas.
Se gostas de torta de morango e teus conviventes saboreiam-na também, tu tendes a saciar a sede ainda mais frequentemente, quando, se tais não gostassem, tua vontade poderia ser sucumbida como um raio que cai sobre a casa perdida no deserto e a destrói para nunca mais voltar.
Se a ti é permitido viver segundo teus pensamentos e crenças, tua fé e vontade, teu desejo e satisfação, é provável que os teus não te castiguem por tal, caso o fizessem, provavelmente tu evitares a torta de morango exalando perfume na janela da vizinha que a pôs pra esfriar.
Aqueles que tu escolhes como teus, definem quem tu és, sem mesmo que tu percebas, porque a liberdade que tu tens de ser quem deseja, passa por filtros e provocações que  tu só aprenderás a controlar com a experiência de conviver com os que te cercam.
Liberto tu és pra fazer o que tu queres; e o que tu queres é puramente o que te satisfaz a alma? Ou algum dos teus anda te influenciando a limitar-te numa redoma de parâmetros retos demais que te sufocam?
Quem,agora, deseja ser tu que leu esse texto?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sobre ser o teu amanhã perfeito, hoje.

Sobre resgate

E ai, qual vai ser?