Presente sem laço de fita, pés fincados ao chão.

  Tudo posso sentir, o que quiser posso ser porque quando algo deixo de fazer, tudo vai pelos ares. Em tudo ou nada  o maniqueísmo talvez ache morada, mas o que posso fazer se os extremos tem moldado minha vida? Tudo está junto e separado, heterogeneamente misturado e simplesmente controverso; não há o que esteja no lugar porque eu ainda não conseguir pôr: meias invadem a cozinha e há uma maçã em meu armário, na segunda gaveta próximo ao pijama... Há espaço na geladeira, mas teimo em não saber onde pôr tudo que acho, quando arrumo o imóvel e tudo encontra-se não se sabe onde, apelo pro discurso mais antigo que se conhece "não há espaço suficiente"... se você olhasse meu cabideiro veria quanto intansijente sou, isso se antes que algo possa pensar, as roupas não descerem em cascata sobre seus ombros... 
  Sinto que desaproveito uma oportunidade disfarçada de maldade que As mãos dO destino me concederam, pelo simples fato de olhar pelo ângulo errado, por me entregar ao mais fácil que parece ser, ao invés de procurar força no caminho mais certeiro. 
   Que Deus livre me de meus fantasmas criados pelo medo e negação da realidade, esta que todos os dias bate à minha porta, como quem diz "não fuja, jovem, estarei aqui quer você queira, quer não, conviva comigo, mantenha os olhos abertos, uma noite de sonhos e desejos não me fará desaparecer quando não mais dormindo você estiver";
   Que Deus me proteja de minhas inseguras palavras, fracas em discurso, e me dê forças, que elas eu saiba transformar em degraus e não em pesos;
   Que eu não me renda a mim, quando num dia triste queira fazer de meu rosto morada da cachoeira transbordante, quando em verdade deveria olhar no espelho e me perguntar:
"Quem eu queria ser quando tivesse vinte e um anos?"
E quando tal conseguir responder, serei capaz de tornar-me a mulher que do outro lado do espelho desejo ver refletir. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sobre ser o teu amanhã perfeito, hoje.

Sobre resgate

E ai, qual vai ser?