Sábia Onisciência

 Não deixe-se abater, sei que são dias de pouco sol, mas As mãos que os moldam são mais sábias do que nós podemos supor, quem sabe não está se escondendo por entre as nuvens para aparecer resplandecente quando vier e teus olhos iluminar, teu coração flamejar e teu caminho fazer sorrir?
 Se não és capaz de entender, também não sou, o sacrifício da noite de lua cheia, de estrelas ímpares ao fim da noite, mas sem tal não haveria, não veria, o dia crepuscular, a vida acontecer quando acordados estivermos  (ou dormindo depois de tanto admirar a lua imponente no Céu - ou bem perto dele.).
 Não estás só, ôh pequena ninfa desse mundo pertencente, filha dO mais Sábio coração onisciente: do verdadeiro profeta mor.
 Quando teu coração aos pratos estiver, por algum acaso ou tristeza, farpa ou incerteza, lá estará, ai estará em teu quarto ou jardim, à ti observar e mesmo que tu não O vejas se fará presente em teu tempo de agora, sem embrulho, ou laço, fácil de perceber, bastando apenas saber que tudo que um dia tu quiseres serás capaz de conseguir.
Presença fará em teu tempo e te presenteará com relógios de pilhas sem fim só para que tu tenhas tempo de ser feliz. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sobre ser o teu amanhã perfeito, hoje.

Sobre resgate

E ai, qual vai ser?