Sobre memória, spoiler e futuro



E hoje meu dia se faz leve
Deixo pra ontem o que se foi
E pra amanhã o que não sei
Sobre o tempo, a dúvida se faz
E a cada incerteza do futuro
O desejo do dia diferente
Ainda não residente (na memória)


Dê ao homem o poder de saber o futuro e logo se animará por antes de todos conhecer tudo que irá ocorrer mesmo que não possa mudar.
Até que um dia perceberá que sua vida se tornou memória, como um livro já antes lido, uma história já antes contada, de conhecido, o futuro se tornará passado, ao passo que, em sua mente, já foi.
Aí saberá que jamais, novamente, poderá degustar o sabor do desconhecido, a expectativa do inusitado e então  soterrado pelo tédio desejará o que não conhece, algo novo que não mais acontece, mas em vão será sua prece.
O desejo antes valioso se tornará martírio;
Pra se livrar desse mal, demorada oração;
E frente ao medo de jamais se surpreender e de viver na mediocridade de saber que tudo que um dia viverá já está em sua memória,
gritará aos céus até sua voz cessar, em completo desespero, acordando todo o quarteirão:
"chega de spoiler, não aguento mais, livrai-me, ôh Pai, de tamanha maldição!"
29/07

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sobre ser o teu amanhã perfeito, hoje.

Sobre resgate

E ai, qual vai ser?