Dia desses

No teu corpo fiz morada dia desses
Fiz barulho, bagunça e surdez
Te fiz mudo, no mundo do meu quarto fiz um trato
Comigo mesma e contigo sem que soubesse

Dia desses minhas paredes calaram-se segredo
E meu travesseiro se recusou ao chão
Meu lençol se embebiu em teu cheiro
Tua pele fez suar meu colchão

Mas dia desses não é pra todo poente
Todo Solstício, equinócio ou verão
É pra folhinha dos dias guardados

Sem chaves, quem dirás sete
Sem vestes
De colo quente: memórias
01/02/17

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sobre ser o teu amanhã perfeito, hoje.

Sobre resgate

E ai, qual vai ser?