Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2018

Isa

Adjetivo Próprio. Licença poética, neologismo, quem vai saber... ela extrapola o apelido e faz-se Bela. De coração, de alma, de atitude. Plena.
Se o mundo cobra e conta as dificuldades, ela toma uma dose de fé e vai porque sabe que não há nada mais incrível do que a fé. Crer em si, crer em Deus. E vai. Certeza, dúvida não definem as regras. Ela define as regras. Mulher forjada em corpo de menina de voz meiga ganha espaço e respeito só por  ser  ela, que de só nada tem.
Porque é enorme.
Porque atrai amor.
Porque é feita da energia boa que o mundo emana e contagia...
Porque a cada dia se faz, se reiventa e decide ser ainda mais
Bela.

Woman, my dear... you are one.

You must be strong, my dear...
For you, for who loves you, for everyone... for now, or still when the world looks like a disaster. When everyone says that is crazy, or that is so hard, you can trust yourself,  you must trust in your heart, cause unfortunally the people can't see everything, they can't see how growing up you are, how Strong you are...  but you can, so show them, show it for yourself... don't hide your dreams anymore. It is time to become the woman that you alredy know that you are... it is time to be complete happy!

Cheeee-ga deee Saudade...

Não queria sentir Saudade, mas, quando pequena, também não queria crescer e ainda assim não tive escolha.
São desses tais movimentos involuntários que mantém  a gente vivo. Saudade deve ser pra mostrar que há de haver esperança, sonho e poesia em algum lugar, onde? Sabe-se lá... numa casinha em frente a um lago, destrás das colinas, dentro de um templo... ou ainda mais perto, sem rota ou gps, dentro de nós.
Saudade de não estar. Do pretérito. Do desconhecido. Do verbo não conjudado, do tempo não acontecido...
Tanto complemento assim só pode ser de substantivo importante, que se forja de adjetivo e deixa o sujeito saudoso sem escolha: ela sai de lá de onde acontecem os sentimentos, caminha pelos dedos e risca o papel.
Mas Saudade não sabe que não será eterna, ao menos em sua forma primária. Feito lagarta e borboleta, trasmutará e voo alçará... e pra tão longe, que de identidade trocada, será reconhecida como
Lembrança.
Essa que não transmuta.
Que, vez por outra, se esconde.
Que, vez …